Namoro na escola: quais são os limites?

Na adolescência, é inevitável: os jovens namoram - muitas vezes dentro da escola. Mas é possível tratar essa questão sem causar conflitos.

Foto: Namorar é algo íntimo e, em público, isso deve ser feito de forma comedida

Pode namorar na escola? Qual é o limite do carinho entre casais de adolescentes na hora do intervalo? Qual é o papel da escola e qual é o papel da família? Essas são questões que, muitas vezes, dividem adolescentes, pais e professores. Exatamente por isso, é um tema que precisa ser tratado com cuidado. 

Namorar é algo íntimo e, em um espaço público, isso deve ser feito de forma comedida. Ainda mais na escola, onde há crianças e adolescentes de diferentes faixas etárias. Por isso, a maioria das escolas tem regras e limites para o namoro entre alunos. Nada mais justo. Mas é importante que essas regras não sejam apenas impostas, e sim discutidas e debatidas com toda a comunidade escolar. E é preciso que elas fiquem claras para todos. No entanto, mesmo com regras, alguns desentendimentos podem acontecer. 

Num colégio em São Paulo, certa vez um jovem casal trocava um beijo em um local mais escuro perto dos banheiros enquanto uma professora de Artes passava com alunos pequenos pelo corredor. No dia seguinte, os pais de uma das crianças procuraram a escola: o pequeno contou em casa que tinha visto um casal transando no banheiro. "Não foi isso o que aconteceu, mas o jovem casal propiciou essa leitura", afirmou o diretor da escola. O jovem casal teve de ser repreendido, para que não agisse mais daquela forma. 

Na maioria das escolas os alunos são orientados a não dar beijos "de língua" e a não sentar no colo um do outro. Para que as regras fiquem claras para todos e que os alunos entendam por que elas existem, o tema da sexualidade é trabalhado a partir do 6º ano do Ensino Fundamental, tratando também de temas como identidade e questões emocionais. 

O ideal é conversar com os adolescentes e estabelecer os que os jovens podem fazer, onde e como. Confira algumas dicas para pais e professores tratarem do assunto:

O QUE ESPERAR DA ESCOLA?
O ideal é que o tema da sexualidade seja debatido em alguma disciplina e que os jovens entendam por que existem determinadas regras. Como espaço público, é preciso que os adolescentes entendam que a diversidade deve ser respeitada e que ‘amassos’ muito fortes não são adequados em um espaço onde pode haver crianças.

COMO A ESCOLA DEVE TRATAR A QUESTÃO DA SEXUALIDADE?
É bom que as regras sejam discutidas com todos, pais, professores e alunos, para que as mensagens sobre limites sejam coerentes. Além disso, é importante deixar claro para os alunos o que é permitido e o que é proibido, explicando os motivos.

COMO AGIR QUANDO CRIANÇAS DIVIDEM O ESPAÇO COM ADOLESCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL?
Os primeiros namoricos começam já ao final do Ensino Fundamental. Os alunos desse nível já devem ser orientados que manifestações exageradas de sexualidade devem sempre ser evitadas, mas quando há crianças no mesmo ambiente é preciso cuidado redobrado. Os jovens devem prestar atenção, pois é importante não antecipar a sexualidade para crianças que sequer estão pensando nisso ainda.

COMO A ESCOLA DEVE AGIR SE UM CASAL APAIXONADO PASSAR DOS LIMITES?
O melhor caminho é conversar. Com os adolescentes e com os pais deles, se necessário. Primeiramente uma conversa com os jovens pode resolver o problema. É preciso explicar por que determinado comportamento é inadequado na escola, e não apenas proibi-lo. Se uma conversa franca não resolver, os pais devem ser chamados. O exagero nos "amassos" e nos carinhos é, afinal, um problema de comportamento como qualquer outro - são regras que estão sendo desobedecidas.

COMO SABER SE A ESCOLA ESTÁ AGINDO DE ACORDO COM AS ORIENTAÇÕES FAMILIARES?
O melhor jeito de saber como a escola trata a questão é conversar com os professores e com a coordenação pedagógica. Em caso de dúvida, não hesite em ir até a escola e fazer perguntas. Você pode, inclusive, sugerir que seja feita uma reunião com pais e professores para esclarecer dúvidas sobre o assunto. Mas lembre-se de nunca desautorizar os educadores. Você pode até achar que um beijo "de língua" não é nada de mais, mas, se a escola proíbe, você deve orientar seu filho a respeitar essa regra.

COMO TRATAR O TEMA SEXUALIDADE EM CASA?
O primeiro passo é analisar o que você suporta ou não dentro de casa. Se achar que ainda não está na hora de ver o seu filho(a) namorando, você até pode proibi-lo (sem deixar de refletir sobre as possíveis conseqüências desse ato). É direito dos pais controlar o comportamento dos filhos. Mas o ideal mesmo é que vocês tenham um diálogo aberto e construam as regras juntos.

(Fonte: Educar para crescer) 

 

Compartilhar

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn